15 agosto 2010

"Eco-Chic" no Estadão



Aventuras pelo asfalto - Blogueiros contam suas experiências na cidade grande ou pelo Brasil adentro.

"Eco chique. A ilustradora Fernanda Guedes faz quase tudo de bicicleta, mas sem perder a elegância. Se tem uma reunião, vai de bike. Mas nem por isso desce do salto. Tudo começou logo que se separou e ainda dividia um carro com o ex, que deixava o veículo sempre sem combustível. Cansada, ela decidiu que não gastaria seus nervos nem seu tempo parada no trânsito. E começou a circular sobre a magrela.
No começo, pedalava pela calçada, pois lhe faltava malícia e coragem para andar entre os carros, guiados por motoristas pouco educados com ciclistas. Passou a andar com grupos de bikers e, assim, perdeu o medo de encarar a rua. A partir daí, o percurso que levava 40 minutos de carro passou a durar só 15. Hoje, quem a vê serelepe quer saber mais sobre sua experiência: se realmente é possível pedalar de salto alto, se é difícil encarar as ladeiras, se tem medo de assalto... "São perguntas de quem realmente quer começar a pedalar", diz Fernanda.
Para narrar as aventuras de uma vida sustentável, Fernanda criou um blog. Assim, quer incentivar outras pessoas e até montar um guia paulistano de lugares para serem visitados sobre duas rodas, que deve ser batizado de "bike-friendly". Fernanda pretende dar dicas, destacar os cuidados necessários, os locais com "estacionamento" e produtos específicos para bicicletas e ciclistas.
"É também uma forma de despertar a atenção de comerciantes e donos de casas noturnas, para que possam receber esse público." Ela anda de capacete, usa iluminação e um adesivo colado na traseira que avisa: "Respeite um carro a menos". "É para ver se as pessoas se comovem", diz.
Hoje, o blog tem outros assuntos relacionados à sustentabilidade. Mas Fernanda jura que não é "ecochata". "Faço, falo e publico coisas que qualquer pessoa pode fazer", explica. Andar de bicicleta a deixou mais feliz e bem humorada, além de ter melhorado seu condicionamento físico. "Ando sorrindo mais. É como se voltasse aos meus 15 anos, andando pelas ruas. Traz um sopro de juventude de volta."
Também tem seus segredinhos de beleza sobre as duas rodas. Quem a vê de lenço e cachecol pensa que é só charme, mas também deixa seu pescoço quentinho e protegido de possíveis distensões musculares. Usa em lenço de seda para proteger o cabelo do vento e da umidade provocada pelo capacete. "Fica estiloso e quebra um galhão", admite. Protetor solar para rosto, mãos, braços e pernas, além do labial. Ah, e sugere que futuras ciclistas levem um trapinho na bolsa para limpar as mãos caso a corrente da bike saia do lugar e tenham que botar a mão na graxa.
A maior estripulia que fez foi voltar de bike para casa às 2 da manhã. Também já pegou chuva. "E não derreti." Hoje, só tira o carro da garagem quando está muito atrasada para um compromisso, ou quando tem de levar o filho a algum lugar, pois ainda não conseguiu uma garupa confortável para o seu garotão de 9 anos.
No futuro, Fernanda pretende organizar uma viagem de bike. Mas, antes disso, pretende percorrer roteiros mais curtinhos no estado de São Paulo, para ganhar experiência. "Minha intenção mesmo é fazer da bike meu meio de transporte", diz. Só falta encontrar um bagageiro para conseguir fazer a compra do mês de bike. E, definitivamente, vender o carro".

Leia a matéria completa aqui.

9 comentários:

Pedro Pellegrini disse...

Oi Fernanda,

Legal você ir trabalhar de bike. Eu também vou de bike trabalhar. Mas não é todo mundo que pode por não haver ciclovias. O que já deve´ríamos ter por causa desse trânsito até diria violento.
Moro em Sto André e vou à São Caetano. Aqui já caiu 30% o número de pessoas que pegavam ônibus. Mas ainda é pouco. Sinto prazer em andar de bicicleta e chego bem mais disposto.
Deveríamos nos unir para fazer algo, pegar assinaturas e o mais importante, planejar os caminhos da ciclovia para ir e vir com segurança.
Meu e-mail: pacienciaecarinho@yahoo.com.br

Um abração,

Pedro Pellegrini

Lady Guedes disse...

Oi, Pedro!
O local onde vc mora é realmente bem movimentado, mas vc já tentou buscar rotas alternativas no Google Maps? É uma sugestão...
Quanto às "cantadas" eu não ligo, não. Se a pessoa é bem humorada eu até sorrio, mas é claro que tem aqueles que ficam provocando, tirando fina, fazendo de tudo para vc cair. Esse tipo de gente eu prefiro ignorar e seguir em frente.
Mas não desanime, garanto que vc vai ser mais feliz andando de n=bike que de carro.
Bons passeios!
Obrigada pelo comentário.
:)
Fernanda

Anônimo disse...

Olá Lady Guedes,

Parabéns pela reportagem e pela iniciativa de transformar a bike em meio de transporte. Sabemos que os obstáculos são enormes para quem quer andar de bike, por exemplo, nesse domingo andando pela Ciclofaixa do Ibiapuera para o Parque das bicicleta tinha dois "imbecis Gaga-ncia & Petralhas" correndo lado a lado tomando praticamente toda a faixa destinado as bicicletas.

Parabéns pela iniciativa e pela visibilidade dada as bikes. Isto sim é ser chic!

Anônimo disse...

Parabéns pela iniciativa e pela elegância.
Eu e minha irmã ficamos animadas com a idéia, mas (desculpe-nos se a pergunta for idiota)e quanto ao suor? Trabalhamos em uma multinacional, participamos de reuniões e temos que estar sempre impecáveis. Qualquer dúvida sanada será muito bem vinda, uma vez que pretendemos tirar as magrelas da garagem com urgência. Abraços

Lady Guedes disse...

Olha, eu sou uma pessoa estranha, pois não suo muito... Mas também estamos em pleno inverno, então não tenho muito como prever como será quando o calorão paulistano der as caras.
Vou fazer um post sobre isso e tentar buscar dicas com outras ciclistas.
Aguardem e não desanimem!
Bjks da Fernanda

Ju disse...

Meninas que perguntaram sobre o suor,

Antes de mais nada, meninas não suam muito mesmo...com algumas exceções, claro!

Se vocês forem dessas que não suam muito, então não tem porque se preocupar. Andando devagarzinho, por ruas tranquilas, e colocando na marcha mais leve (agradeço a elas todos os dias :D ), garanto que não suarão muito. O máximo que vão precisar, talvez, é dar uma lavada no rosto e dar uns retoques na maquiagem no banheiro.
Sugiro andar com aqueles lencinhos úmidos pra dar uma arejada de leve.

Se vcs forem das que suam bastante e derem a sorte de trabalhar em uma empresa que tem vestiário, então também não tem com o que se preocupar, pq dá pra tomar banho no trabalho mesmo.
Se não tiver vestiário, os lencinhos úmidos servem como banho de gato. Daí eu já recomendo pedalar com outra roupa para não suar na roupa "de trabalho". Essas podem ser dobradas com cuidado e colocadas numa pasta, dessas de plástico, mais resistente para que não amassem, e guardadas na mochila, junto com o sapato e o que mais precisarem.

Eu vou trabalhar todo dia de bike, e sempre vou devagar para não suar muito... e também vou com a roupa normal de trabalho mesmo, dá um ar mais de cicle chic! :)

Boa aventura!

Lady Guedes disse...

Ju, superobrigada pelas dicas preciosas. Eu certamente não teria feito melhor.
Apenas aproveito para acrescentar que sempre se deve lavar o rosto ao chegar de alguma pedalada, pois a poluição das grandes cidades é um veneno para a pele, e também usar filtro solar 30 ou mais para evitar que o sol manche a pele.
No mais, aproveitem, garotas! Vamos todas ser mais felizes em duas rodas.
Bjks da Fernanda
:)

Zeca Alves disse...

Bom dia Fernanda,
Primeiramente meus sinceros parabéns por sua iniciativa...Você não faz ideia de como me incentivou a deixar o carro na garagem e vir trabalhar de bicicleta ...Acredite...a materia que li domingo no jornal O estado de SP...foi uma alavanca..
É isso mesmo...vamos " ditar moda" para o transito..e ainda vou mais além num sonho de " Uma avenidade Paulista queseja proibida a passagem de carros , mas apenas de bikes.." tudo bem pode parecer loucura a minha....mas sair de casa nesse frio de bicicleta já fala por si mesmo...kkkk
Tô me sentindo outro cara...obrigado..mesmo....abração...virei fâ e seguidor do Blog...
até a proxima...Zeca

Lady Guedes disse...

Zeca, que ótimo ler seu comentário e saber que estou conseguindo o meu objetivo, que é mostrar às pessoas que é possível através do exemplo e não do "faça o que eu falo mas não faça o que eu faço"...
Boa sorte na sua nova vida de ciclista. Uma coisa eu já lhe garanto: em pouco tempo vc vai perceber que está bem mais feliz do que antes.
E por que não sonhar com a Paulista só para nós, não é mesmo? Sonhar não custa nada e quase todas as grandes conquistas eram apenas sonhos no início.
Beijokas!
Fernanda