09 julho 2010

Glossário Eco-Fashion

Descobri um blog incrível que gostaria de dividir com vocês: é o "Ser Sustentável com Estilo", da lindona e talentosa Chiara Gadaleta.

Eu já era fã dela como modelo, estilista da "Tarântula" e também como apresentadora do programa "Tamanho Único" do GNT e para mim foi uma grata surpresa ver que ela também se preocupa com o consumo consciente e deseja espalhar a ideia de uma vida mais sustentável, sem perder o estilo.

Fiz um pequeno apanhado de alguns conceitos que ela divulgou em seu blog, mas recomendo não só uma visita mais demorada para uma leitura completa dos posts, como também passar a seguir essa moça para lá de criativa tanto no blog quanto no Twitter.

Fica a dica: se liguem nas dicas de brechós que ela dá. Brechó é reciclagem e reciclagem é Eco-Chic!


Glossário Eco-Fashion:

1 - Moda Sustentável: é aquela que faz uso de materiais que causem o menor impacto possível no meio ambiente. A reciclagem, o upcycling e o reaproveitamento de materiais impedem o gasto de energia na fabricação de um produto novo, diminuindo o impacto no meio ambiente. Além disso, o uso de mão de obra local diminui as emissões de gás carbónico derivadas do transporte.

2 - Reciclagem: qualquer produto que seja feito a partir de materiais, tecidos, metais ou fibras que já existam anteriormente. Reciclar é reutilizar.

3 - Upcycling: é pegar aqueles materiais que iriam para o lixo e criar novos produtos com eles sem precisar passar pelos processos físicos ou químicos da reciclagem. Transforma-se uma calça jeans velha em um casaco maravilhoso ou numa bolsa, por exemplo.

Você sabia? O upcycling começou em pequenas griffes de moda, mas virou tendência rapidinho e já chegou à Prada! A marca está usando sobras de tecidos para desenvolver sapatilhas, bolsas e vestidos. Eco-Chic, né?
4 - Consumo Consciente: quer dizer se preocupar com a qualidade, o impacto ambiental e a maneira como aquele produto foi feito, incentivando aqueles que se engajam em um processo mais sustentável de produção. Comprar em brechós, feirinhas e reaproveitar roupas velhas são bons exemplos de consumo consciente.

5 - Comércio Justo: é aquele que pratica a igualdade e a justiça nas relações comerciais e nas formas de produção. O comércio justo não emprega crianças, não discrimina, paga salários justos, assina a carteira de seus funcionários e lhes proporciona um ambiente de trabalho seguro e agradável.

É isso aí.
Não deixem de visitar o blog da Chiara.
Beijokas da Fernanda.

 

2 comentários:

Carol Vianna disse...

Bela dica, Fê! Acrescento na definição de Consumo Consciente a compra do que a gente precisa. Claro, pequenos abusos são humanos, gostosos e perdoáveis, mas precisamos sempre nos lembrar de que comprar, comprar, comprar o que não precisamos significa exaurir, exaurir, exaurir a Natureza! Beijoca, Carol

Lady Guedes disse...

Pois é, ahei desnecessário repetir porque essa de consumir menos já tinha entrado no post "10 pequenas atitudes Eco-lógicas"... Mas a verdade é que nunca é demais repetir.
Obrigada pelo comentário!
Bjks
F