28 julho 2010

Destaque na Folha de S.Paulo: "Bangladesh bane saco plástico e vende tecnologia verde"

"Uma cidade com 13,5 milhões de pessoas, quase sem transporte público, onde o esgoto corre a céu aberto e o trânsito para com a chuva.
Vítima constante de tufões e de enchentes, Dacca, a capital do Bangladesh, poderia ser a cidade mais poluída do mundo, mas dá exemplo de baixa emissão de carbono, consumo responsável e tecnologia sustentável.
Desde 2002, a cidade baniu do comércio as sacolas plásticas que entupiam os bueiros. Nas lojas e supermercados, o consumidor sai com sacolinhas semidescartáveis de juta (fibra de planta) ou pano, que se desfazem em poucos dias.
Mesmo oito anos após o fim das sacolinhas, o país ainda não conseguiu limpar dos rios esses detritos, cuja decomposição demora mil anos. Todos os anos retira pelo menos dois caminhões de restos de plásticos dos rios.
Agora, o país, um dos mais pobres do mundo, exporta sacolas ecológicas para EUA, Europa e Japão. Só no ano passado, as exportações bateram US$ 547 milhões.
"É fashion ter uma sacola ecológica "made in Bangladesh". Mas sustentabilidade não é mais luxo inacessível; aqui é questão de sobrevivência", disse à Folha Gofran Ahmad, diretor do Grameen Shakti, braço do grupo Grameen, cuja política de microcrédito valeu um Prêmio Nobel da Paz ao país."

Fonte: Folha.com.

2 comentários:

Fujiro Ecotêxtil disse...

Bangladesh parece realmente um exemplo em certos aspectos ao cuidado com o meio ambiente, espero que isso espalhe-se pelo mundo rapidamente para podermos poupar o meio ambiente no quesito poluição.

Divulgamos este post em nosso twitter, caso queira conferir: www.twitter.com/fujiro

Parabéns pelo post e também pelo blog!

Lady Guedes disse...

Obrigada pelo comentário e pela divulgação do blog!
:)
Fernanda