10 junho 2010

Isso não é um "Adeus", querida Magrela!


Depois que comecei a andar de bicicleta prá lá e prá cá, e conheci outros que, como eu, são apaixonados por esse estilo de vida, acabei percebendo que minha querida e fiel Magrela, que há 12 anos me acompanha, é pouco apropriada para as ruas de São Paulo e ergonomicamente errada para minha altura.

Comecei a ter dores nas costas e nos pulsos, mas ainda assim, hesitei por bastante tempo em trocá-la por um modelo mais novo, mais "urbano" e, principalmente, mais de acordo com meu porte físico (tenho 1,75 de altura).

Mas depois de constantes problemas com a manutenção da bike, resolvi repensar a nossa relação.

Foi então que comecei a buscar com amigos, e também na internet, informações sobre bicicletas que se adaptassem melhor às minhas necessidades.

Nessa hora a ajuda do Ricardo, Rodrigo e do Tom da FreeCycle foi inestimável. Além de uma paciência inesgotável para responder às minhas perguntas, eles me proporcionaram vários "test-drives" e me deram dicas preciosas para ficar atenta ao que eu realmente preciso.

Foi aí que eu conheci aquela que viria a ser a minha atual companheira, minha linda LadyBike, uma Blitz Comodo 700, charmosa e grandona, assim como eu.

Mas mesmo assim, semanas se passaram até que eu tomasse alguma decisão. Nesse meio tempo, consultei o I-Ching, falei com amigos, com a minha terapeuta e até me meti em fóruns sobre o assunto.

Uma feliz coincidência me proporcionou ganhar a bicicleta dos meus sonhos, com cestinhas e tudo o mais, como um belo presente (adiantado) de Dia dos Namorados.

Ontem foi meu primeiro dia com ela nas ruas e devo dizer que a LadyBike se portou de maneira espetacular. É confortável, me dá muito mais segurança para enfrentar a buraqueira das ruas e minha postura fica perfeita.

Ainda tenho um pouco de medo de deixá-la por aí, só com as correntes, mas acho que em breve já conseguirei relaxar e aproveitá-la sem a neura de que alguém a roube ou vandalize.

Vou seguir o conselho de minha sábia mãe,"seguro morreu de velho" e correr atrás de alguma empresa que faça uma apólice de seguro para minha LadyBike, assim poderei ficar mais sossegada.

Mas e a minha Magrela? Olha, não sou adepta da máxima que diz que "uma amor se cura com outro", por isso vou mantê-la bem legalzinha, sempre pronta para passear comigo quando a saudade apertar ou o meu destino for um tanto incerto, afinal ela não chama tanta atenção.

Minha intenção é mantê-la na família. Quando meu filho, hoje com nove anos e uma bike aro 20, crescer mais um pouquinho, vai herdá-la. Aliás, ele já está empolgado com a ideia!

Bem, é isso. Mais tarde terei outras aventuras para contar. O itinerário de hoje promete ser uma prova de fôlego, com muitas subidas e descidas. Vamos ver no que dá!

Beijokas da Fernanda.

4 comentários:

Babel das Artes disse...

Adorei a parte "belo presente (adiantado) de Dia dos Namorados". Que boa notícia, hein? bjs

Marjorie disse...

Uau, isso é que é estilo, Fernanda!!! De salto, roupa chiquetérrima...VC já se desenhou assim?

Marcelo disse...

Muito chique e estiloso essas cestinhas na sua bike!

Lady Guedes disse...

Essas cestinhas podem ser adaptadas aos bagageiros da maior parte das bikes. Tem para vender aqui na Free Cycle em São Paulo. Fica em Perdizes, rua Aimberê. Eu recomendo, pois elas quebram o maior galho!
Obrigada pelo comentário e volte sempre!
:)