02 dezembro 2010

Uma rapidinha para animar a minha tarde...

Baita trabalhão ginórmico pousado na minha prancheta desde ontem e eu com três consultas agendadas para esta quinta-feira: dentista às 9h, psiquiatra às 15h e ginecologista às 16h30. Cancelei os dois primeiros e mantive o terceiro porque desde terça-feira estava cismada com dois carocinhos que "achei" no seio esquerdo. Com essas coisas não se brinca...
E, pior, quem dorme com um barulho desses?
Mesmo assim acordei cedíssimo hoje, depois de uma madrugada trabalhando sem parar nesse tal job que, aliás, é para uma agência do Rio, chamada NBS. Eu achava que NBS era abreviação para os nomes dos sócios, tipo: Noronha, Bergamini e Santos. Mas é No Bull Shit! Hahahahaha, bem irreverente, bem carioca... Adorei!
Enfim, trabalhando sem parar desde cedo, preocupada com os dois grãozinhos de arroz que achei depois da natação e esperando dar o horário da consulta.
Eu sabia que ia levar um pito do Dr. Flávio, por estar há mais de um ano e meio sem aparecer por lá, mas o que fazer? Toda vez que vou a uma consulta dele gasto o orçamento destinado à saúde referente a dois ou três anos. Tudo bem, o cara é bom. Tudo bem, eu sou um caso complicado e tenho preguiça de me explicar para um novo médico... Mas por que nenhum dos meus médicos de confiança tem convênio com a Amil? Isso é tão injusto! Eu não tenho muita escolha: ou mudo de plano de saúde ou recomeço do zero em plenos 44 minutos do segundo tempo. Fala sério...
Detalhe: não pedalo desde terça, por isso estava doidinha para subir na LadyBike e dar uma pedaladinha, nem que fosse uma rapidinha...
Ontem, depois de trabalhar por horas a fio sentada, minhas pernas e pés eram uma só massa de cima a baixo, totalmente sem contornos. Tive que dormir com os pés apoiados numa almofada para ver se, durante a noite, meu tornozelo voltava de mansinho ao seu formato original.
Isso é que dá trabalhar no meu ramo. Tudo é sempre para ontem, os prazos são apertadíssimos, fico com gente de agência ou revista cafungando no meu pescoço o dia inteiro, um stress danado. E depois ainda tenho que aturar os engraçadinhos que acham minha profissão uma moleza, que por ser  ilustradora, eu sou zen, sou artista... Sei! Eu sou é uma funcionária e só não bato cartão porque "trabalho por conta". Não tenho décimo terceiro, há anos não tiro férias e meu horário é tão flexível quanto imprevisível. Mas adoro cada minuto e não consigo me imaginar fazendo outra coisa.
Enfim, voltando ao assunto, quando fui perceber, estava trabalhando sentada havia horas sem levantar o traseiro da cadeira, nem mexer os pés... só podia ficar daquele jeito, super inchada, horrenda... O que me salvou de um destino parecido hoje foi a escapada rapidinha para ir ao médico, que fica na Rua Caçapava, uma travessa da Avenida 9 de Julho, nos Jardins.
Na hora de sair um dilema tipicamente feminino: estou horrorosa! Meu cabelo continua ligado no "mode on" do "bad hair day", então achei que deveria caprichar no batom, no pernão de fora e nos colares, assim conseguiria dissimular os defeitos. Efeito cortina de fumaça, saca?
Como estava um calorão daqueles, meti meu shortinho branco e fiz um look Riviera Francesa: "Navy" na camiseta listrada e no modelito do short, com abotoamento frontal; e "Chanel" nas pérolas, muitas pérolas (mas todas falsas).
E lá fui eu, morrendo de medo do exame, exercitando as pernas e tentando conter o coração que batia acelerado pelo ritmo intenso das pedaladas e pela ansiedade que estava a milhão.
Mas, como tudo que acontece comigo, sempre rola um lado cômico, por mais que a tragédia queira dar uma de prima donna. Hoje a sessão comédia ficou por conta de uma senhora que, diretamente do DDD 82 (que não faço ideia de onde é), me ligava insistentemente (a cobrar) para o celular, querendo falar com uma tal de "Kéilei". Expliquei trocentas vezes que o número estava errado, mas a mulher apertava o "redial" e, segundos depois, já começavam os acordes do tema de "Sex and the City", que é o meu ringtone para as chamadas normais. As chamadas especiais têm toques personalizados... ;-) Putz, juro que tive a maior das paciências, mas estive a um centímetro de mandar a mulher catar coquinhos numa praia deserta. Só não o fiz porque supus que, pelo sotaque, ela já devia estar em algum paraíso do Nordeste, ou seja, numa situação bem mais agradável que a minha que estava ali bravamente enfrentando o trânsito paulistano.
Ai, ai... o papo está bom, mas tenho que voltar ao trabalho, então vou resumir a ópera: no exame de toque (uia!) e no ultrassom, não deu lá grandes coisas. Ufa, ainda bem! O Flávio acha que deve ser um gânglio rebelde ou coisa assim. Mas, por via das dúvidas, vou levar meu belo par de seios para serem prensados no melhor estilo "Cartoon Network", ou seja, uma mamografia completa, só para ter 100% de certeza. Mas pelo menos esta noite eu vou dormir mais tranquila - e menos inchada.
Beijokas da Fernanda.

Reflexo do meu look French Riviera num Dobló. Adesivo da campanha por um 'Trânsito mais gentil" no vidro. Eu sou muito a favor!

"Não pode parar bicicleta aqui no estacionamento, não, moça". Putz, então tá... Vou parar na entrada do estacionamento.
Bad Hair Day: ainda bem que eu sou adepta do capacete...
Batom e pérolas. Tudo jogo de cena...
É Natal.Mas já? Sim, já estamos em dezembro, minha gente!
Quando voltei da consulta, vi que tinha chovido e a LadyBike estava toda molhadinha.
Que maravilha... eu de short branco naquela chuva... Ainda bem que o sol voltou a brilhar rapidinho, assim pude aproveitar o visual "cruiser" e jogar um charme pelos Jardins. ;)

2 comentários:

Rogério Leite disse...

LG... MEIAS DE PRESSÃO! Urgente. Para quem passa horas sentada trabalhando ou estudando, é o que resolve. Não deixa a perna inchar, evita as varizes e as dores. Vale cada centavo! Fazem 3 anos que arranquei umas varizes grandes na perna esquerda, e o angio me mostrou que ele mesmo usa as meias para trabalhar. Ai comprei umas que nem se nota que são de pressão. Para homem é mais dificil mas eles lançaram uma pretas, de microfibra, fechadas, sociais. São ótimas. Para vc tem vários modelitos, e vc só deve usar enquanto trabalha. Quando for pedalar tira! È melhor e mais eficiente que jogar os pes para cima! hehehe

Lady Guedes disse...

Rogério,
Nem quando eu estava grávida cedi à "tentação" de usar essas meias. Elas são medonhas, não há outra palavra para descrevê-las.
Prefiro fazer 100 agachamentos e 200 polichinelos de 15 em 15 minutos do que passar 1 hora com aquele troço nas pernas.
Mas valeu pela preocupação e pelo conselho. Você sempre é muito gentil e eu sempre muito vaidosa, hehehe.
;)