14 dezembro 2010

Segunda-feira caótica? Não para mim!

Quem mora em São Paulo sabe que esta segunda foi um dia daqueles! Principalmente para quem teve que enfrentar os muitos quilômetros de congestionamento que resultaram da chuva estilo dilúvio bíblico que caiu entre 16h30 e 20h00.
Mas eu sou uma garota de sorte e, a cada dia que passa, me convenço mais disso e, é claro, dou uma mãozinha para o destino que ninguém aqui é bobo de confiar só na boa vontade dos deuses, certo?
Saí de casa à tarde ciente de que ia pegar chuva. Não sabia a que horas ou qual seria a intensidade, mas isso não me impediu de montar um kit básico: capa de chuva, sacos plásticos e bom humor. 
Com tudo isso bem amarradinho, lá fomos nós (eu e a minha LadyBike, claro!) para uma reunião na Green Mobility, uma empresa brasileira de consultoria especializada no desenvolvimento de mecanismos para melhorar a mobilidade sustentável de empresas e governos. Eles conheceram meu blog, se interessaram pela minha proposta de vida mais sustentável sem eco-chatice e me chamaram para conversarmos sobre possíveis parcerias. Eu topei na hora, é claro!
Vou dar uma resumida na proposta deles: o conceito Green Mobility (ou Mobilidade Verde) busca estratégias inovadoras que permitam o acesso de pessoas, sobretudo as mais carentes, a bens e serviços e aos seus destinos com menor impacto ambiental, econômico e social. O grande desafio é tornar um dos maiores problemas das cidades em ganhos para o desenvolvimento sustentável.
A Green Mobility  trabalha desenvolvendo projetos que integrem as iniciativas de Mobilidade Urbana Sustentável na sociedade e criando meios para promover a parceria Pública e Privada.
E eles querem que eu os ajude nisso! Como diz a minha amiga Déia: "demorô!".
Conversa vai, conversa vem, a chuva começa a cair lá fora. Eu estava preparada para me molhar e não tinha hora para chegar em casa, estava tipo bem free, hehehe. mas a Penélope e o Lincoln, meus interlocutores nessa reunião, tinham que comparecer ao Fórum Pegada Berrini (que, aliás, "bombou" no Twitter esta noite) e estavam preocupados se conseguiriam atravessar a cidade a tempo.
Reunião terminada eles se foram e eu fiquei, para esperar a chuva passar. O café estava ótimo, havia uns biscoitinhos que me foram gentilmente oferecidos e a conversa com os demais participantes do Hub corria solta e animada.
Ah, deixa eu fazer um parênteses para explicar um pouco sobre o Hub, que também é um projeto muito legal. Funciona assim: imagine que existem milhares de pessoas aí pelo mundo, todas com ideias muito legais, capazes de transformar a realidade. Executivos, líderes comunitários e públicos, artistas, gente de todas as áreas com a paixão e a garra de um ativista e a assertividade de um empreendedor. O que essas pessoas têm em comum é justamente o que as une nesse mesmo espaço: o desejo de um mundo melhor, ideias e vontade para fazer com que tudo se concretize. O "conceito" Hub está presente em várias cidades do mundo, inclusive em São Paulo.
O Hub daqui fica na Bela Cintra, num grande galpão, onde essas pessoas podem, utilizando o espaço comunitário, fazer conexões, produzir e compartilhar conhecimento. Ou seja, podem ter ali seu escritório, ou um local para reuniões e eventos, enfim, usar como bem lhes convier, desde que esteja em sintonia com a proposta. 
Imagine uma grande comunidade hippie... agora tire as "viagens" e coloque os dois pés bem no chão. O Hub é isso aí. E a Green Mobility não poderia estar num local mais apropriado. E eu... bem, eu não poderia estar mais contente por ter a honra de me tornar parceira dessa iniciativa.
Mas, voltando à chuva... Já eram mais de 18h e nada de a chuva parar. Conversando com um aqui e outro acolá, achei uma boa ideia deixar a LadyBike pernoitar lá e voltar para casa de ônibus, ou metrô. Estava pronta para sacar meu Bilhete Único da bolsa quando a porta da frente se abriu e eu vi - com surpresa - que a chuva estava fraquinha, fraquinha. E o trânsito, paradinho, paradinho... 
Para tudo! Aperta o rewind e volta essa fita!
Desci a LadyBike com a ajuda do simpático Leonardo, com quem estava papeando na cozinha e que, muito gentilmente se ofereceu para me acompanhar pelas ruas inundadas, como um verdadeiro gentleman
A cada dia que passa, mais eu me convenço de que os ciclistas têm mesmo um algo mais, um humor melhor, uma simpatia mais acessível, um sorriso mais fácil. 
Foi muito gostoso voltar pedalando na chuva, a sensação que eu tive é que vim rindo da Bela Cintra até aqui. E sabe de uma coisa? A capa de chuva foi extremamente útil. Cheguei sequinha: nenhum pingo de suor ou de chuva. "Nada como um dia atrás do outro, com uma noite bem no meio", como diz minha sábia mãezinha.
Por falar em noite, já está tarde e vou encerrar esse post por aqui. Mas não antes de me gabar um pouco, hehehe. Hoje recebi um e-mail do meu amigo Jairo, que se mudou para Portugal há uns dois anos. Ele escreveu o seguinte: "Fui à terra da bicicleta e lembrei de você. Bjos!".
Tem maneira melhor de começar a semana?
Beijokas da Fernanda.

Gente, o que é isso? Minhas coxas estão muito roliças!
Redundando: uma flor em frente ao mercado das flores. ;-P
Pelo céu já dava para ver que não havia chance de escapar da chuva.
Na esquina da Paulista com a Bela Cintra, uma bela visão: os PMs e suas bikes. :-)
Descendo a Bela Cintra em direção ao número 409, onde fica a Green Mobility.
O estacionamento que fica ao lado do prédio aonde fui tem mais de 50 vagas e, por lei, deveria aceitar bicicletas. Mas o "seu gerente" não deixa. Como o funcionário não tem culpa da ignorância - ou má vontade da empresa - deixei quieto. Mas vou ligar para a administração e mandar um e-mail também. Lady PROCON.
Por causa da recusa do estacionamento, só me restou prender a LadyBike na lixeira. Fala sério, ninguém merece!
Ainda bem que eu estava lidando com gente Eco-Chic. LadyBike foi imediatamente tirada de seu "castigo" na rua e içada escadas acima por rapazes fortes e gentis, a fim de repousar placidamente numa das salas do Hub. Ficou ali, toda, toda, sendo paquerada e admirada por todos. Sucesso de público e de crítica!
Fui tomar água e me deparei com isso: nada de copos plásticos! Bem legaus! :-D
Trés Eco-Chic: palmas para todos, inclusive para mim, que lavei direitinho o copo que usei! :-)
No Hub é assim: cozinha comunitária e sem desperdícios, suportes para bicicleta e muita luz natural. Tudo muito Eco-Chic e sustentável!
Sem falar na mesa e cadeiras de papelão! Finesse reciclada, tá? Eu só tive que me controlar para não pegar uns hidrocores e dar uma "customizada" nelas... hehehe.
Pronta para a reunião com a Penélope (bonita e charmosa) e o Lincoln, que não aparece na foto. Reparem como eu me "espalhei" pelo ambiente. Isso não é muito Eco-Chic, né? Preciso aprender a me conter, hehehe.
Com o dilúvio rolando solto lá fora, e sem perspectiva de melhoras, achei que seria uma boa ideia deixar a LadyBike pernoitar na Hub, voltar de ônibus para casa e buscá-la no dia seguinte. Então coloquei-a no morcegueiro, que é como eu chamo esses suportes para pendurar bike na parede.
Até deixei meu capacete penduradinho nela. Mas aí veio "o milagre": São Pedro fechou um pouco a torneira, permitindo que eu e Leonardo, que conheci ali e na mesma hora já virou mó friend nos animássemos a enfrentar a chuva, o trânsito e os alagamentos juntos. Unidos, venceremos a Consolação e a Dr. Arnaldo!
Fiz questão de fazer pose com meu modelito "Dilúvio-Recycle-Chic".
Leo também estava muito glamuroso com sua capa e calça transparentes e um saco de lixo protegendo a mochila. Look "gatinho" completo. Lagerfeld perde! ;-P
Vocês não fazem ideia de como estava divertido pedalar na chuva em tão boa companhia!
Mas aqui neste cruzamento nossos destinos se separaram e nos dissemos "adeus": ele desceu a Cardeal Arcoverde e eu fui em direção à Paulo VI. Amizade-relâmpago numa chuva de verão. :-)
Ô dó... A forte chuva derrubou um pedação dessa árvore, numa ruazinha próxima à Paulo VI. Nem preciso falar que deixou o trânsito ainda mais caótico, né?
Rindo à toa: o trânsito paradão e só eu me movimentando. Ri melhor, quem ri numa bike!
"Tenho medo de chuva, não, tá ligado?". Fazendo cara de "sangue-ruim" na chegada à garagem. Os porteiros certamente já desistiram de mim e qualquer dia desses um deles chama o SAMU e me manda prum sanatório, hehehe.
Noblesse oblige: sacos plásticos para proteger as sandálias e a bolsa. Pheeeena!
Pode me chamar de maluca! Sou maluca, mas sou feliz e mais maluco é quem me diz. Falei? ;)

11 comentários:

Rogério disse...

Muito legal Fernanda, foi compartilhar ok? Bjs.

Junior Lopes illustrator disse...

demais essa sua vida de biker..voce ja leu o Diarios de bicicleta,do David Byrne?
bj

Lady Guedes disse...

Oi, Junior!
Curioso vc ter mencionado esse livro, pois ontem na reunião falamos muito do David Byrne e, para ser sincera eu ignorava totalmente que ele é um amante das bikes. Preciso providenciar com urgência!
Bjks

Rogério, fique à vontade para compartilhar, comentar e dar risada!
Bjks

Su disse...

Você se saiu muito bem na chuva, parabéns! Eu ainda preciso dar um jeito no suor que fica retido por causa da capa.

Beijo.

::Fer:: disse...

A sandália preta tem quilometragem garantida. Pelo visto é uma preferida. Parabéns pelo desafio da chuva.

Anônimo disse...

Olá Lady,

Amei este "post", só quem ama andar de bike tem este astral e essa forma linda de encarar à vida. Aprendo a ver a vida diferente lendo seus "post". Parabéns!
A.Nônimo

Lady Guedes disse...

Yesssssssss!
Um sucesso esse post, hein? Acho que todo mundo queria estar comigo naquela chuva...
E que sensação boa: o trânsito parado e eu seguindo em frente, chuva no rosto, rímel escorrendo e eu nem aí: um baita sorrisão megafeliz no rosto. Eu e o Leo viemos dando risadas durante todo o trajeto!

A.Nônimo,
É isso aí: gente que ama bicicleta tem um humor beeeeeeeem melhor!

Su,
Com a chuva forte, eu não suei. A capa funcionou numa boa. Mas eu sou uma "slow biker", não tenho pressa, minha intenção é curtir o caminho. :-)

Fer,
A sandália preta é campeã! Aguentou os mais de 40km de pedal do Olavo no domingo numa boa, e ontem também fez bonito. Só tem um problema: se eu ando com ela, fico com os pés cheios de bolhas! Vai entender! :-D

Bjks!

Samuel Silva disse...

Duas coisas eu tenho de concordar ...
a chuva não de trela mesmo, agora a segunda é a respeito das coxas, hahahaha. Eu sou eco street, mas a minha locomoção é o skate. Mas eu fico mais ralado que roliço hahaha.
Beijos Fernanda.

Lady Guedes disse...

Hahahahaha!
Boa, Samuel!
Bjks
F

Rodrigo Gonçalves disse...

Viva a chuva! Viva a biker! Só não esqueça de acender as luzinhas quando chover para ser bem vista por todos exalando seu charme eco-chic! Bjs!!

Lady Guedes disse...

Ah, com certeza, Rodrigo!
Minha bike é praticamente uma árvore de natal, hehehe.
:)