15 setembro 2010

Terapia + Caixa 24h + Consulta

Terça-feira é dia de natação pela manhã e terapia à tarde. Outro dia um amigo comentou comigo que não fazia mais terapia porque sabia que não tinha mais jeito. Eu também não tenho jeito, mas vou lá porque gosto de conversar e tomar sorvete na padaria depois, hehehe. Brincadeirinha. Minha terapeuta, a Olga Joveleviths é competentíssima e me ajudou muito nos últimos tempos.
O dia ontem estava ensolarado e quente. Assim que saí com minha LadyBike, notei uma certa inclinação para a contemplação da natureza. Trocando em miúdos: eu estava aérea, me enlevando com a beleza das árvores e prestando pouca atenção ao trânsito. Soou o alarme e eu tive que me recompor, pois a Avenida Sumaré é perigosa e, apesar do meu trajeto até o consultório ser simples, sem muito esforço, é preciso muita atenção.
Depois da terapia não fiz a minha parada costumeira na padaria Nova Charmosa para tomar aquele gellatto. O final de semana foi tipo pé-na-jaca por aqui: comi e bebi demais e, pior, pedalar que é bom, nada! Então estou com muitas sobras para queimar.
Ao invés de descer a rua Homem de Mello como de costume, resolvi testar uma caminho diferente, indo pelo meio de Perdizes, por uma rua paralela. Gostei de encontrar essa alternativa principalmente porque a rua é mais tranquila e uma troca de ares sempre é benéfica. Só não gostei de tomar uma esguichada de água dos garis que estavam limpando a rua depois da feira. Mesmo com aquele calor todo eu dispensava numa boa o chuveirinho com cheiro de peixe.
Quando finalmente retornei à Sumaré, já estava em frente ao Delboni Auriemo, bem pertinho de casa. Ainda faltava mais de uma hora para minha consulta, mas resolvi que não faria uma pausa em casa porque senão desanimaria. Ia aproveitar que estava numa fase contemplativa e curtir a ciclovia ao invés de ir pela rua. Adoro quando passo por baixo de duas grandes árvores, com suas longas raízes e copas frondosas. Parei lá e fiquei observando um pouco . Talvez ainda venha a desenhar aquelas árvores qualquer dia desses.
Quase em frente à estação Sumaré, retornei à avenida e depois segui pela rua do cemitério (sempre esqueço o nome dela) até parar no posto que fica perto da rua Fidalga para fazer um saque rápido no caixa eletrônico. Quarta-feira é dia de sacolão e a Roberta, minha fiel escudeira, precisa repor o estoque de frutas, verduras e legumes.
Minha consulta era às 17h15 e eu saí do posto às 16h, decidida a fazer, novamente, um caminho diferente do costumeiro e ver se encontrava novidades em ruas que não conheço. Afinal, é para isso que serve o tempo livre, certo?
Me embrenhei pelas ruas da Vila Madalena e Alto de Pinheiros e deliciei meus olhos com a visão de casas incríveis, árvores e jardins bem cuidados. O tempo passou rápido, mas ainda cheguei com tempo suficiente para ler duas revistas Claudia na sala de espera do consultório.
Depois de lá, já que eu estava numas de mudar os caminhos, voltei para casa pela rua Aspicuelta e não pela Wizard, como é meu costume. Nunca vou me acostumar com a topografia da Vila Madalena. É uma coisa muito louca para quem foi criada em Brasília, ver aquelas ruas inclinadas, aqueles subidões, aquelas calçadas tortas. Meus olhos estranham até hoje, mesmo depois de 20 anos morando aqui em São Paulo.
Cheguei em casa morta de calor, pois, nessa de trocar os caminhos, peguei umas subidas piores que a da João Moura, corri para o chuveiro e tomei um gostoso banho frio. Ah, como é bom se refrescar assim, né? Prazeres tão simples da vida, mas que aprecio cada dia mais.
Beijokas da Fernanda

Quase tudo azul.
Sorriso sinceeeeeeeeeero... hehehe.
Na ciclovia da Sumaré: as árvores que eu adoro.
Parada para sacar o vil metal.
Canteiro caprichadinho no Alto de Pinheiros.
Gente, olha que árvore magnífica!
Que fofo esse corredorzinho verde, né?
A topografia insana da Vila Madalena ainda me assusta.
Doida pra tomar um banho!

LadyBike em sua posição de repouso, estilo morcegona.

2 comentários:

Nino Coutinho disse...

Depois de ler/ver mais esse seu passeio, tenho certeza que achará este texto interessante:

http://asbicicletas.wordpress.com/2010/09/11/bikes-trens-e-bois/

Pra vc que gosta de subir e descer as ladeiras de Sampa, conhecendo a cidade, experimentando novos caminhos e admirando os detalhes!

Lady Guedes disse...

Oi, Nino!
Valeu pelo comentário e pela dica!
Bjks
F