02 maio 2011

Eu Acho Isso Muito Bacana: Bike-Ambulâncias no Malawi.

3 comentários:

e.m. disse...

Olá Fernanda, também acho bacana a bike. Sou ciclista e não perco tempo em fazer uso no meu cotidiano. Mas, no caso eles, não é bacana não! É, ao contrário, como mostra a reportagem, consequencia de dificuldades de mobilidade e de acesso à saúde. Ativistas da bike precisam também ponderar os conceitos. Nem sempre a bike será um prazer pra todo mundo, ainda mais qdo é o "único jeito". Diferente de quem tem condições e, mesmo sendo ativista, vai pro hospital de ambulância! abs,
Eder.

Carlos Alkmin - Fotógrafo disse...

Se em tantas grandes cidades existem os famosos "rickshaws" ou "bici-táxis", seja por carência de recursos (Cuba, Índia, cidades asiáticas) ou conscientização ecológica (NYC), por que não ambulâncias, não é mesmo?

Do jeito que as coisas vão na São Paulo do caos no trânsito, tem muita bici-ambulância que ia chegar mais rápido e de forma mais segura ao hospital. Sexta última, uma ambulância capotou em plena Av. Santo Amaro, com paciente e tudo.

Lady Guedes disse...

Eder,
Obrigada pelo seu comentário. Antes de mais nada, deixe-me esclarecer que não sou ativista, nem mesmo em prol da bicicleta. Sou uma defensora do livre-arbítrio, seja ele por usar a bike, o carro ou os pés. Meu lema é cada um na sua e respeitando o próximo com o máximo de gentileza possível.
Quanto à situação na África, concordo com o Alkmin e não vejo mal em usar a bicicleta como ambulância numa situação em que esta é a melhor opção, seja pela falta de recursos, seja pelo trânsito, seja por consciência ecológica.
O que mais prezo nessa atitude é a capacidade de solucionar problemas prementes, sem ficar esperando pela ajuda de alguma instituição ou do governo. É a comunidade tomando para si a responsabilidade do bem-estar de seus membros e se valendo dos recursos disponíveis com muita criatividade.
Bjks e obrigada pelos comentários.
Fernanda