31 janeiro 2011

Sexta, Sábado & Domingo.

Minha agenda de sexta-feira: terapia às 12h (transferida por causa do feriado na terça) e depois, uma tarde toda livre, leve e solta. O que fazer? "Bora pro cinema"!
Eu poderia ir ao cinema todos os dias e mesmo assim, não enjoaria de tal programa, sabiam? Meu amor pela sétima arte é antigo e desde muito cedo vou ao cinema - e, devo confessar - prefiro ir sozinha!
Comecei frequentando as sessões do Cine Brasília, que ficava nos fundos do prédio onde eu morava em Brasília, na SQS 106. Naquela época, era um filme por dia, e só filme de arte. Então eu, com meus 14, 15 anos, assistia Polanski, Antonioni, Bergman, Saura, Fellini... Minha estatura e corpão de mulher não deixavam dúvidas sobre a minha "maioridade" e os porteiros estavam tão acostumados a me ver sempre por ali, que jamais questionaram. E olha que isso era na época do regime militar, da censura... é, meus caros, eu sou bem vintage mesmo!
Claro que muita coisa dos enredos me escapava por pura falta de vivência, mas esse período foi extremamente importante na minha formação e definiu minha personalidade cinéfila.
Não pensem que, por isso, eu desprezo o cinema made in Hollywood. Nada disso, muito pelo contrário. Adoro! Meu gosto é bastante eclético e topo qualquer gênero, menos filmes de guerra e terror (que acho muito chatos).
Depois do advento do videocassete e mais tarde do DVD, passei a selecionar os filmes que vejo no cinema e aqueles que deixo para ver em casa, como a maioria das pessoas.
Os para ver em casa são aqueles do tipo "pipoca": comédias românticas, aventuras, ou seja, "entertainment". Os que vejo no cinema são aqueles dos meus diretores favoritos, que têm os atores e atrizes que admiro ou ainda aqueles que me despertaram a curiosidade a tal ponto, que dificilmente conseguiria esperar alguns meses para ver em casa. Sim, alguns meses, pois sou bem old school quando se trata disso. Não faço download de filmes e não compro DVD fajuto, acho um absurdo. Principalmente sendo eu também uma artista e tendo nos direitos autorais a fonte do meu sustento. Sou contra e fico na maior marra quando algum amigo me chama para uma pirataria.
Mas enfim, depois de um gostoso almoço num dos meus restaurantes japoneses favoritos (que eu não frequentava há tanto tempo que até mudou de nome e eu não sabia...) fui com minha LadyBike para o Shopping Bourbon Pompéia para ver o que estava passando nas salas de lá. Optei por "Além da Vida" dirigido pelo Clint Eastwood. Gostei. Se for comparar com "Biutiful" que vi na quinta-feira, perde feio, mas é um bom filme. O problema é que a cena inicial é tão forte que o resto do filme fica modorrento depois dela. Nada, em nenhum momento, consegue superar a descarga de adrenalina que a sequência inicial promove. Mas adorei a elegância discreta da francesa Cécile de France, com seus cabelinhos curtos e revoltos e sua silhueta esguia. Eu dava um braço para ter 50% do charme que ela demonstra sem a menor dificuldade ou afetação. Humpf...
Quando saí do cinema, a noite estava tão deliciosa que fiquei enrolando para chegar em casa. Vim bem devagarinho pela ciclovia da Sumaré, subi e desci a minha rua, tudo para adiar ao máximo ter que entrar no apartamento e abandonar aquela noite fresca e perfumada. Mas já eram mais de 21h e no dia seguinte eu iria acordar cedo para pedalar na USP com o pessoal do Olavo Bikers.
E o sábado foi um lindo dia de sol. E eu pedalei, gargalhei e me diverti com meus amigos. Depois, mais à noitinha, ainda tive fôlego para correr 6 km com a minha vizinha, Eliana, na Avenida Sumaré. Estamos empolgadas com a proximidade de mais duas provas nas quais nos inscrevemos para tentar fazer 10 km: o Circuito Vênus em 27 de fevereiro e o Circuito das Estações Adidas em 20 de março. Dedos cruzados, muita força de vontade e vamos que vamos!
Beijokas da Fernanda.

P.S.: Domingo fui pedalar com Olavo Bikers de novo e desta vez, levei um amigo que, pelo jeito, já se apaixonou pelo grupo também. Bem-vindo ao clube, Maurício! ;D

Meu limão, meu limoeiro: inspiração para o look green-chic.
Depois da terapia, almoço: esse restaurante chamava-se Yoko...
... agora é Sushi Bol. Mas fora a troca de nome, nada mudou...
...as porções continuam generosas (e deliciosas) e o precinho bem acessível.
Como diz minha mãe: "comi até ficar triste", hehehe.
Da janela eu fiquei vigiando a LadyBike, estacionada na rua.
Shopping Bourbon Pompéia, aqui nos tens de regresso.
Na saída, um céu lindo, noite agradável, perfumes deliciosos no ar.
Sabadão, 9h da manhã e sol escaldante. Bora pra USP pedalar com Olavo Bikers!
A turminha esperando o líder chegar.
Uma cena comum nos encontros: muitas gargalhadas. O Zé Augusto (à esquerda) demorou para entender a piada, hehehe.
Gilda faz pose de séria com sua água tônica diet. A-hã, sei... hehehe.

5 comentários:

Lili Chiurco disse...

Ai que delícia ir ao cinema! Eu gosto tanto, mas tenho tão pouco tempo... Fiquei feliz que vc vai correr o circuito vênus, vc vai adorar! O circuito das estações tbm é muito legal, meu namorado sempre participa e as camisetas são lindas!
Adorei o look verde.
Beeijoss

Lady Guedes disse...

Vamos marcar de nos encontrar lá. Adoraria conhecê-la pessoalmente.
:)

Lili Chiurco disse...

Vamos sim, Fernanda. Adoraria te conhecer pessoalmente também. Vc tem algum e-mail que eu possa mandar meu celular? Aí conseguimos nos achar por lá.
Beijos

Lady Guedes disse...

Lili, entra no meu site:
www.fernandaguedes.com.br
e manda um e-mail através do link "contato".
Daí a gente troca números de telefone e etc para nos encontrarmos no Circuito Vênus.
:D
Bjks

Lili Chiurco disse...

Ok, Fernanda. Vou entrar lá!
Beeijos